Cléo Pires

Revisão de 23h42min de 9 de dezembro de 2010 por Cthulhu.fhtagn (discussão | contribs) (Misturando o artigo da musa Clio com a Cléo Pires. Algumas piadas são explicadas na página de discussão)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Wikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Clio.


Cléo Pires (do grego Κλειώ, latinizado com Kleios ou Clio) é uma das nove musas de 2010, e, junto com suas irmãs, filhas de Zeus e Mnemósine, habita o monte de Vênus.

O nome Cléo Pires vem do seu título Καλλίπυγος (calipígia), que em grego quer dizer aquela que tem uma bela bunda (o que é uma coisa rara na mitologia grega, porque os gregos não gostavam de bunda de mulher, apreciando muito as bundas dos garotinhos), através da versão em Latim encontrada em Cícero caliopigeia, modificada no latim medieval para cliopireis e escrita, nos Lusíadas de Camões como cleopires.

Cleo Pires é a musa da história e da criatividade, e em seus templos é representada de monoquíni saindo das águas, ajoelhada e mostrando a bunda, nua na água como uma ninfa aquática, ou como musa protetora da cidade do Rio de Janeiro.

Uma versão alternativa do seu mito, atribuída no texto medieval Sunda, aquele que comeu a sua bunda Suda ao mitógrafo grego Príapo de Síbaris, diz que seu pai era Fabiojunior e sua mãe era a ninfa Índia, filha do Sol (o deus Hélio). Segundo esta mitologia, ela era irmã do monstro mitológico Fiuk, que aparece na lenda da coloridomaquia pelo heroi Felipeneto.

Outra lenda de Cléo Pires está relacionada ao patricarca bíblico Benjamim, que encontra a musa em várias fases da sua vida. Enquanto Benjamim envelhece, a musa está sempre jovem, gostosa e tentadora, mas ele não consegue comê-la nunca, terminando seus dias louco, como punição por sua hubris.